|| Joana Carvalho Fernandes
a ler
Uncategorized

Preto, porco, gordo e especial.

Ourique, de novo. A vila vive a calma alentejana das seis da tarde de um sábado, que é a calma alentejana de todos os outros dias da semana no Alentejo.
.
O homem tem na mão um cálice que não condiz com os seus traços e um pedaço de pão com presunto de porco alentejano.
.
– “Então Zé, como é que isso vai? Esse foste tu que o engordaste. Está bom, o presunto?”
.
O Zé sorri e assente. Chama-se José Dias e tem 52 anos.
.
“Fui pastor de todo o tipo de gado: porcos, ovelhas, vacas… “, conta-me. “O meu pai foi pastor, o meu avô foi pastor. Que vida havia eu de tomar? Agora tomo conta do porco alentejano.”
.
E enche a boca de pão, que empurra com vinho.
.
Tem patilhas, bóina, cajado, botas grossas de pele, casaco de pêlo de ovelha. E trabalha de sol a sol. “Acordo às 5h ou 6h e só largo os animais no lusco-fusco”, diz, enquanto mete outro pedaço de pão com presunto na boca.
.
Tem olhos azuis, por detrás dos óculos, e o telemóvel preso ao cinto de cabedal, porque é pastor, “de maneiras rústicas”, mas gosta “de ser moderno. Pelo menos um bocadinho.”
.
Mais vinho, e desta feita presunto sem pão.
.
A sua missão é garantir que os porcos engordam o suficiente até à altura da matança. Mas faz um bocadinho mais do que isso: dá “atenção e carinho aos bichos.”
.
“Os porcos é como os gatos. Acostumam-se à pessoa”, conta. “E a pessoa acostuma-se a eles, claro. São animais muito curiosos e inteligentes. Se for outra pessoa a ir com eles nem lhe ligam ou até se assustam.”
.
Mete mais uma fatia de presunto à boca e continua.
.
“E tem que se fazer sempre a mesma volta com eles. Se se habituam à balbúrdia, ninguém dá conta deles!”, gargalha.
.
“Mas tenho-lhes muito carinho. Uma pessoa cria os animais de pequenos, depois tem pena de os deixar abalar. Fica-se-lhes com amizade”, confessa.
.
– E o presunto, Zé? Sabe que está a comer fatias dos seus amigos?
.
“Claro que sei! Conheço o sabor de todos. Só que são tão especiais que não lhes consigo resistir! António, há mais disto?”
Anúncios

Discussão

One thought on “Preto, porco, gordo e especial.

  1. Epá, este está bem giro! E eu nem curto muito porco! Só boi! LOOLApetece-me dizer: “Parabéns, miga” mas vou só deixar um beijo sorridente com mousse de chocolate no canto da boca. =D

    Posted by Espalhafato | Novembro 9, 2008, 14:08

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: